Slider

Vídeos

Postagem em destaque

Grupo de amigos realizam mais um Projeto Natal Criança Feliz em Bodocó-PE

O Projeto Natal Criança Feliz está em seu sexto ano e o seu principal objetivo é tornar um Natal mais feliz para as crianças da zona ru...

Polícia

Politica

Educação

Esportes

Economia

Entretenimento

INVENTÁRIO DA OFERTA TURÍSTICA DE BODOCÓ-CONFIRA




» » JOVEM ESTUPRADA, COMETE SUICÍDIO PORQUE NÃO QUERIA REVIVER O PESADELO AO REENCONTRAR O CRIMINOSO NO TRIBUNAL

     Ceri Elen Linden, de 20 anos, preferiu a morte a reviver o pesadelo de ficar cara a cara com o seu estuprador no tribunal.


    No dia do ataque a jovem pegou um táxi. Deu o nome de um bar para onde iria, e pediu pra ele esperar uns amigos que estavam saindo. Ao invés de esperar, o motorista saiu em disparada rumo à sua casa.
        Ceri percebeu logo que estava sendo sequestrada. Mandou mensagens frenéticas aos amigos. A primeira delas dizia: "eu fui sequestrada" e em segundos depois disse: "estou com muito medo!"
       
        O taxista a levou para sua casa, nos arredores de Chester, onde a estuprou. Ela só conseguiu escapar, quando o criminoso, posteriormente identificado como Mansouri, 33, foi ao banheiro.             Assustada, Ceri se escondeu nos arbustos, enquanto ele rondava as ruas tentando encontra-la novamente.
        O ataque deixou marcas irreparáveis na vítima. Apesar de ter contado todos os detalhes e ter dado detalhes cruciais que ajudaram a policia a encontrar o culpado, Ceri, que tinha um histórico de depressão, estava no fundo do poço.

         Eleri Linden, mãe da jovem, disse ter visto Ceri, que tinha um histórico de depressão, no fundo do poço. Segundo ela, sua filha não podia lidar com a tragédia que tinha acontecido. 
        A ideia de encontrar seu estuprador no tribunal, tornou a situação ainda pior. " Ela ficou satisfeita com a identificação dele, mas estava sem chão, e temia que ele pudesse ser inocentado", lembra Eleri.
        Cinco dias depois do ataque, a mãe decidiu fazer um jantar especial para tentar anima-la. Foi ao supermercado e só ficou fora de casa por meia hora. Quando ela chegou em casa, lembra que tudo parecia normal. "Ceri parecia bem, comemos um pastel e tivemos uma conversa, como se nada tivesse acontecido" diz. Mas, cinco minutos depois, a jovem contou à mãe que tava passando mal e confessou que tinha ingerido vários comprimidos de pressão arterial.
        A mãe, histérica, tentou reanimar a filha quando ela parou de respirar. Mas, infelizmente era tarde. Ceri foi levada de ambulância ao hospital, mas morreu no caminho após ter uma parada cardíaca.

Fonte R7

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe um comentário