Slider

Vídeos

Postagem em destaque

Constelação familiar sistêmica: Um nome estranho, mas que pode mudar a sua vida.

O que é essa terapia que até os tribunais de justiça estão aplicando?  Sabe todas aquelas vezes em que vemos geração após geração repet...

Polícia

Politica

Educação

Esportes

Economia

Entretenimento

INVENTÁRIO DA OFERTA TURÍSTICA DE BODOCÓ-CONFIRA




» » Jovem é morta com 30 facadas em SC, e comércio da cidade fecha as portas

Foi o avô quem encontrou a jovem despida,
 envolta em uma poça de sangue
 e com rosto desfigurado
A morte da universitária Caroline Slachta, 18, mudou a rotina da cidade de Estação Cocal, município de 16 mil habitantes no sul de Santa Catarina. A estudante foi encontrada no chão de casa com 30 facadas no rosto e no pescoço na quinta-feira (8).
A universitária ia ao supermercado com o avô, mas como a jovem demorou a encontrá-lo e não atendia ao telefone, Eugênio Ghizoni, 63, foi procurá-la na casa da mãe. Quando chegou, viu a neta despida, envolta em uma poça de sangue e com rosto desfigurado.
A brutalidade do crime comoveu a pacata cidade. O policial Militar Guilherme Ferreira –que atendeu a ocorrência– disse que "coisas assim não acontecem aqui". O soldado conta que pequenos comércios fecharam as portas, e aulas foram canceladas. Segundo ele, principalmente, porque as mães temem que o crime se repita e não deixaram as filhas saírem.
O delegado responsável pelo caso, Marcelo Vianna, já tem um suspeito, que está desaparecido. Apesar do resultado da necropsia ficar pronto somente em 30 dias, a policia crê que Caroline tenha sido estuprada –tanto pelo tipo de lesão corporal quanto pelo fato de ter sido encontrada sem as partes de baixo da roupa.  Uma força-tarefa das polícias civil e militar se deslocou até a cidade para encontrar o assassino.
Na delegacia, o avô de Caroline disse que a neta não tinha namorado, que era bondosa e que tem medo que o crime tenha sido cometido por um conhecido. 
No Facebook, centenas dos 2.326 amigos de Caroline deixaram depoimentos. "Começo a lembrar dos nossos tempos de teatro, a Carol sempre tão simpática e sorridente. Tenho medo desse nosso mundo porque, infelizmente, a Carol foi mais uma vítima destes psicopatas", escreveu uma das amigas.
Nos textos, a palavra mais utilizada foi "Aloha", utilizada no Havaí como saudação ou despedida e capa da página de Caroline, que tinha um sol maia tatuado no ombro e diversas postagens de mandalas em homenagem à paz e ao amor.

Fonte: Uol Noticias

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe um comentário