Slider

Vídeos

Polícia

Politica

Educação

Esportes

Economia

Entretenimento

INVENTÁRIO DA OFERTA TURÍSTICA DE BODOCÓ-CONFIRA




» » » » » Flávio Bolsonaro volta à campanha e fala em 'enxugar máquina'

Candidato havia tido um mal-estar na quinta-feira (25) durante um debate.
Bolsonaro discursou sobre armamento da GM, uma de suas propostas.

A família de Flávio Bolsonaro compareceu à agenda de campanha na manhã desta terça-feira (30) (Foto: Elisa de Souza / G1)
O candidato à prefeitura do Rio Flávio Bolsonaro (PSC) voltou nesta terça-feira (30) à agenda de sua campanha, depois de ter passado mal durante debate na última quinta-feira (25). Nesta manhã, o candidato andou pelo Largo da Carioca, no Centro, onde conversou com eleitores e pareceu recuperado.
"Eu estou fazendo os exames ainda, o que eu senti ali foi um mal-estar, uma queda de pressão, eu estava realmente desidratado. A princípio foi isso", disse ele, acompanhado de seu pai, Jair Bolsonaro, a mãe e o seu irmão nesta manhã. "Comecei a ter aquele mal estar repentino. É estranho, porque eu nunca tive isso. Por via das dúvidas, vou levar a minha garrafinha de água no próximo debate."
Flávio falou que deseja criar a Secretaria de Empreendedorismo e Desburocratização.
"Para que todos os segmentos dessa área, empreendedorismo, vendas, comércio possam ter mais liberdade para criar mais empregos. Principalmente os micro e pequeno empresários que movem esse país", afirmou.
O candidato afirmou que para criar a secretaria os recursos virão do corte de pastas existentes. Ele afirma que pretende diminuir de 29 para 18 o número de secretarias: muitas serão extintas e outras fundidas. Bolsonaro disse ainda que pretende cortar em 20% o número de cargos políticos.
O candidato também falou sobre a proposta de armar a Guarda municipal. "Obviamente tem que haver uma qualificação, um treinamento da Guarda [Municipal] para que ela possa usar arma de fogo. Não quer dizer que a Guarda vá dar tiro em camelô. É o contrário disso. A Guarda no meu governo vai trabalhar na segurança do cidadão. O trabalho vai ser integrado com os das polícias. Tem que mudar o foco da Guarda, a Guarda não é pra aumentar a arrecadação e multar."
Do G1 Rio

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe um comentário