Slider

Vídeos

Postagem em destaque

Grupo de amigos realizam mais um Projeto Natal Criança Feliz em Bodocó-PE

O Projeto Natal Criança Feliz está em seu sexto ano e o seu principal objetivo é tornar um Natal mais feliz para as crianças da zona ru...

Polícia

Politica

Educação

Esportes

Economia

Entretenimento

INVENTÁRIO DA OFERTA TURÍSTICA DE BODOCÓ-CONFIRA




» » » » Para consultor, Chape deve montar timaço de marketing para se reerguer

Em meio à tragédia, Amir Somoggi vê marca muito mais forte do que antes do acidente aéreo: "Virou gigante, mas tem que transformar isso tudo em receita"

(foto: ESPN )

Em meio à tragédia que levou 71 vidas no acidente aéreo do voo LaMia 2933, a Chapecoense também se preocupa com seu futuro. O desastre matou 19 dos 22 jogadores que estavam no avião, além de comissão técnica e dirigentes do clube catarinense. Para diminuir um pouco a dor da perda, para vislumbrar o renascimento da instituição, será necessário arregaçar as mangas. O consultor de marketing e gestão esportiva Amir Somoggi vê um pequeno alento diante de tantos escombros: o crescimento da marca mundo afora.
- A Chapecoense vivia um momento especial, ia disputar uma final de Copa Sul-Americana. Uma coisa precisa ser dita: não há dados hoje para se ter ideia da situação logo após uma tragédia assim, mas, passada a comoção, pode-se dizer que, como marca, a Chapecoense virou um gigante. De clube simpático, tornou-se uma potência global. Muita gente que nem conhecia a Chape passou a ter conhecimento. O que pode servir de alento é que ela é maior hoje do que antes da tragédia. 
Estádio Medellín homenagem Chapecoense (Foto: LUIS ACOSTA / AFP)Atlético Nacional faz homenagem tocante à Chapecoense no lotado estádio Atanasio Girardot, em Medellín, onde seria realizada a primeira partida da final da Copa Sul-Americana: "Uma nova família nasce" (Foto: LUIS ACOSTA / AFP)

No entanto, há muito o que se preocupar com o futuro, segundo o consultor de marketing. Além do conforto às famílias, além de precisar remontar a sua equipe, o clube terá de se reforçar também fora das quatro linhas.
- Acho que a Chapecoense deveria montar um time de marketing de primeira, bem capacitado. Não adianta só o número de sócios-torcedores crescer muito, a visibilidade nas redes sociais aumentar. A verdade é que tudo passa, a notícia de hoje pode virar notícia velha amanhã. O marketing tem que ser muito forte para ter esse crescimento convertido em receita.
Diretor do Ibope divulga impacto nas mídias sociais com tragédia que chocou o mundo (Foto: Reprodução Twitter)Últimos dados divulgados por Ibope do impacto nas mídias sociais após tragédia da Chape (Foto: Reprodução Twitter)
Os números divulgados em 1º de dezembro pelo Ibope Repucom apontavam para um crescimento da Chapecoense nas redes sociais em 620%. Pulou de 513 mil seguidores (registrados dia 16 de novembro) para quase 3,2 milhões. O Instagram e o Youtube, com ponto forte nos vídeos em imagens editadas, saltaram mais de 1.000%. A Chape entrou para o top 5 entre os times de futebol brasileiros no Instagram, atrás apenas de São Paulo, Corinthians e Flamengo. 
A página do clube no Facebook ficou entre as 10 mais acessadas entre os clubes. Só no primeiro dia após a tragédia havia 13 mil novas inscrições para várias modalidades de sócios-torcedores. Esse número já passou para 24 mil. Clubes do mundo inteiro, em forma de homenagem, divulgaram nas redes sociais ou no campo a marca Chapecoense, seja o nome, o escudo ou as cores. Somoggi vê dificuldade até na comparação com as tragédias aéreas vividas por outros clubes de futebol, como as potências Torino, nos anos 1940, e Manchester United, nos anos 1950.
Barcelona x Real Madrid Chapecoense (Foto: Reuters)No Camp Nou, antes de Barcelona x Real Madrid, jogadores das equipes se juntam atrás de faixa homenageando a Chapecoense: em meio à tragédia e à dor,, visibilidade do clube cresce no mundo todo (Foto: Reuters)

"Clube organizado"
- O custo hoje para se montar um time de futebol é outro. Fora a ajuda às famílias dos jogadores e da comissão técnica. É uma situação delicada. O Torino, que era base da seleção italiana, só voltou a ser campeão 25 anos depois e nunca mais foi a potência que era. Fica até difícil traçar um paralelo entre esses clubes. O que assusta, no caso da Chapecoense, é que o clube foi dizimado - afirmou o consultor de marketing.
A boa notícia no horizonte sombrio é , segundo Amir Somoggi, a capacidade de gestão do clube apresentada ao longo dos anos. Não foi à toa a ascensão da Chapecoense num curto período - passou rápido das Séries C e B para a primeira divisão, onde há três anos assegura permanência com boas campanhas.
Na penumbra, Juventus faz minuto de silêncio em homenagem à Chapecoense antes de partida contra Atalanta, em Turim (Foto: REUTERS/Giorgio Perottino)Na penumbra, Juventus faz minuto de silêncio em homenagem à Chapecoense antes de partida contra Atalanta, em Turim: clubes no mundo inteiro reverenciaram clube após a tragédia (Foto: Reuters/Giorgio Perottino)
- O clube é organizado, não tem dívidas. Tem um custo anual de R$ 41 milhões, e acredito num aumento de faturamento, que deve chegar a uns R$ 50 milhões, R$ 60 milhões nesta temporada de 2016. Para se ter uma ideia, o Corinthians tem um custo de R$ 250 milhões ao ano.
Alerta para formação de novo time
A ajuda de outros clubes com empréstimos de jogadores será fundamental, de acordo com Somoggi, para a Chapecoense começar a ser reerguer na temporada de 2017, apesar de o clube ter assegurado R$ 16,5 milhões em prêmios com a conquista da Sul-Americana, participação na Recopa e ajuda da CBF.
- Sabemos que, com a conquista da Copa Sul-Americana, a Chapecoense terá uma agenda de jogos muito grande. Vai disputar Libertadores, Recopa, além dos outros campeonatos. Vai ser difícil montar um time, e ela não tem recursos para montar neste momento. Daí a necessidade de converter esse crescimento de visibilidade em receita. Mas vejo como fundamental esse empréstimo de jogadores por parte dos outros clubes.
Existe, porém, um alerta: o clube precisará tomar cuidado na formação desse time. Lembra dos muitos casos de equipes montadas com contratações consideradas boas mas que na prática não confirmaram as expectativas. Daí a necessidade de um bom treinador que encaixe bem as peças na engrenagem. E Ronaldinho Gaúcho, seria uma boa?
- Não, o Ronaldinho Gaúcho não, ele é um ex-atleta. Só em nível de marketing. Será importante, sim, ter um técnico com experiência para escolher os jogadores e saber tirar o que houver de melhor em todos. 
mosaico da torcida do atlético nacional diz "vamo, vamo chape" (Foto: Leonardo Lourenço / GloboEsporte.com)Mosaico da torcida do Atlético Nacional no verde e branco em comum entre os clubes que decidiriam a Copa Sul-Americana diz "Vamo, vamo chape" (Foto: Leonardo Lourenço / GloboEsporte.com)
Por Rio de JaneiroG1/Globo Esporte

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe um comentário