Slider

Vídeos

Postagem em destaque

Grupo de amigos realizam mais um Projeto Natal Criança Feliz em Bodocó-PE

O Projeto Natal Criança Feliz está em seu sexto ano e o seu principal objetivo é tornar um Natal mais feliz para as crianças da zona ru...

Polícia

Politica

Educação

Esportes

Economia

Entretenimento

INVENTÁRIO DA OFERTA TURÍSTICA DE BODOCÓ-CONFIRA




» » » » » » » PORQUE SOU CONTRA A INSTALAÇÃO DE FÁBRICAS DE PLACAS EM SERRA BRANCA (Artigo)

Gesso em contato com o ambiente pode contaminar o solo e a água com enxofre



O gesso é um material usado intensamente na construção civil, tanto para a decoração de ambientes, como para artesanato, e que, se descartado de maneira errada, torna-se extremamente prejudicial para o meio ambiente.
Além disso, o gesso é um material de difícil destinação e reciclagem, e que, quando descartado, não pode ser misturado a outros resíduos, visto que o gesso tem o potencial de contaminá-los.

A deposição inadequada do resíduo de gesso pode contaminar o solo e o lençol freático, devido às características físicas e químicas do material, que, em contato com o ambiente, pode se tornar tóxico. “O resíduo do gesso é constituído de sulfato de cálcio di-hidratado. A facilidade de solubilização promove a sulfurização do solo e a contaminação do lençol freático. Quando entra em contato com a umidade, o gesso pode vir a produzir o gás sulfídrico, extremamente tóxico e inflamável. Além disso, o gás sulfídrico pode paralisar o sistema nervoso central, responsável pelo controle da respiração, o que pode provocar asfixia.”, explica Sayonara de Moraes Pinheiro, pesquisadora da UNIVASF – Universidade do Vale do São Francisco. Essa é a mesma opinião do professor de engenharia civil da Universidade de São Carlos (UFSCar) José da Costa Marques Neto.
Na cidade de Ipubi temos um alto índice de câncer na tiroides, segundo os médicos no Recife que trata de vários pacientes do município atribui ao gesso.
Outra característica específica do gesso é relativa ao seu descarte, visto seu potencial efeito danoso para o ambiente.
É por essa razão que o seu despejo dos resíduos de placas ou de gesso na própria fábrica, encostas, margem de estradas, córregos e lotes vagos são extremamente proibidos por lei. O correto descarte dos resíduos do gesso e de placas deve ser feito de acordo com a Resolução nº 307\2002 do COMANA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), que especifica, dentre outras coisas, o correto armazenamento, transporte e técnicas de destinação para esse material.

Este artigo servirá de analise e reflexão da população de Serra Branca. Fica a pergunta vocês querem isso, a destruição lenta e gradual da natureza do lugar e da saúde da população? Contra fatos comprovados não há argumentos.

Daniel Torres
Ambientalista

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe um comentário