Slider

Vídeos

Postagem em destaque

Grupo de amigos realizam mais um Projeto Natal Criança Feliz em Bodocó-PE

O Projeto Natal Criança Feliz está em seu sexto ano e o seu principal objetivo é tornar um Natal mais feliz para as crianças da zona ru...

Polícia

Politica

Educação

Esportes

Economia

Entretenimento

INVENTÁRIO DA OFERTA TURÍSTICA DE BODOCÓ-CONFIRA




» » » » » Opinião- Oposição x Situação em Bodocó faz da política partidária uma novela sem fim.

Em Bodocó, no Sertão Pernambucano, a politicagem partidária é uma novela sem comparações. 

No governo anterior, a oposição batia em cima do gestor com duras críticas e cobranças. Passado o período eleitoral, com o novo gestor, a situação se inverteu. 
Cobranças, críticas e denúncias são as armas principais de uma oposição que até agora não demonstrou desinteresse em vigiar e cobrar da situação. 
Mas é sempre assim! É como falaram alguns internautas em redes sociais: "É fácil ser pedras, difícil é ser vidraça!", sobre uma questão de um lado ter sido vidraça e agora ter virado pedra e vice versa. Oposição e situação trocando de lugar. 
Mas esse jogo de oposição x situação, é um jogo de interesses coletivo ou de interesses próprios? Os aliados da situação estão felizes porque a população está ganhando ou vai ganhar algo que seja realmente bom para todos? Ou porque já ganharam ou vão ganhar algo que seja benéfico para cada um particularmente e/ou para seus parentes? Será que um emprego vale mais que uma escola bem equipada, uma quadra coberta, um hospital com condições eficientes para atender seus pacientes com profissionais competentes, ruas pavimentadas, água nas torneiras em comunidades rurais, dentre outros serviços públicos? 
Quanto a oposição, não generalizando - assim como não quero generalizar também a situação - será que estão de fato preocupados com a questão pública? Será que realmente querem que o município avance, ou será melhor que é melhor o mesmo cair no caos pra que seja politicamente bom para o grupo até que possam voltar ao poder e consertar tudo? E ao mesmo tempo, pensando naquele emprego que perdeu, claro! 

Alguns pensam e falam motivados pelo revanchismo e outros pelo desejo de estar no "Poder" bajulando e tentando encontrar seu espaço na máquina pública. 

E o pior de tudo, é uma prática obtusa que usam para jogar culpas nos outros, necessariamente no passado. 
Enquanto estavam na situação, a atual oposição culpava uma gestão que durou 12 anos no poder, por desmandos que por consequência viriam a castigar duramente a gestão posterior. 

Dizia-se que muitas obras e recursos foram perdidos por conta da incompetência de um governo que deixava por herança, apenas contas a pagar. 
Da mesma forma, estamos assistindo a mesma novela, como um verdadeiro "remake ou filing" com personagens do passado interpretados por atores diferentes, sendo que alguns da velha guarda não ficaram de fora, mas que estão sendo usados em papéis diferentes. 

Pessoas que parecem ser capacitadas especialmente na arte de defender políticos em redes sociais, trabalham duramente tentando dar explicações sobre falhas do governo e apontando o governo anterior como principal culpado de tudo. 
Enquanto a outra equipe, a que aprendeu atacar duramente o governo e seus defensores, cobram serviços a qualquer custo, não hesitam em denunciar e perseguir a gestão atual. 
Tiram fotos, gravam vídeos e fazem o que for necessário pra mostrar erros ou acusar a gestão. 

Enquanto isso, os atuais e ex secretários, coordenadores e funcionários do mais alto escalão, se  guardam de fazer quase tudo isso que foi dito acima. 
São os mais quietos, os que menos se pronunciam, os que menos aparecem em redes sociais para se defenderem ou atacarem os populares...Até por uma questão de ética profissional, que é  bem compreensível! 
E se formos comparar os salários e os prestígios, dá pra perceber o quanto é irrelevante e insignificante a batalha dos pobres contra os pobres na guerra política. Quanto vale a disputa de argumentos e razões, enquanto os que mais recebem e são prestigiados, são os que menos lutam nessa guerra? 

É como em uma guerra de verdade, quando os oficiais, os que comandam, ficam na linha estratégica da batalha, ganhando altos salários, enquanto os de patentes baixas, vão à frente confrontar com inimigos que são iguais na mesma linha hierárquica. 

Enquanto situação e oposição vão tomando conta do cenário atual nas redes sociais e nos comentários de rua, um grupo de amigos surge com a expectativa de propor uma terceira opção partidária à população. Pessoas politicamente frustradas e revoltadas com a situação que agrava fisicamente e moralmente o município há vários anos. Líderes que se levantam com a experiência de campanhas e governos passados, contando com eleitores insatisfeitos com as duas opções atuais e que pretendem angariar apoio de outros potenciais eleitores frustrados que ainda se prendem ao conservadorismo político do município. 

Cabe a nós bodocoenses, esperar o tempo passar pra vê té quando essa "novela mexicana" feita em Bodocó vai durar. E se nos próximos "remakes", surgirão "filings" diferentes ou inesperados. Sobre personagens? Sabemos que nunca vão desaparecer! Mas surgirão novas figuras com a estréia de uma nova cena chamada "Terceira Via", que provavelmente surgirá em um futuro não tão distante. 
Aguardemos os próximos capitulos. Até breve!

Resultado de imagem para a eleição passa, as amizades ficam

Por Davi Dinz
Edição e Redação

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe um comentário