Slider

Vídeos

Postagem em destaque

Constelação familiar sistêmica: Um nome estranho, mas que pode mudar a sua vida.

O que é essa terapia que até os tribunais de justiça estão aplicando?  Sabe todas aquelas vezes em que vemos geração após geração repet...

Polícia

Politica

Educação

Esportes

Economia

Entretenimento

INVENTÁRIO DA OFERTA TURÍSTICA DE BODOCÓ-CONFIRA




» » » » » » » "The Real Rocky": história que inspirou Stallone chega aos cinemas

O boxe cria heróis reais e imaginários. E em 1976 deu origem a um dos maiores filmes da história do cinema. Rocky, no Brasil "Rocky: um lutador", conta a história de um desconhecido pugilista americano que ganha a chance de encarar o campeão mundial Apollo Creed e por pouco não lhe rouba o cinturão. O que poucos sabem é que o longa, que custou míseros US$ 1,1 milhão, faturou US$ 225 milhões e foi indicado a dez Oscars, ganhando três, foi roteirizado e produzido por Sylvester Stallone com inspiração na vida de Chuck Wepner, lendário e folclórico boxeador da época. Quase 41 anos depois, a história do "The Real Rocky" chega às telonas.

"O garanhão italiano"

A foto acima mostra Sylvester Stallone já caracterizado como Rocky Balboa, o garanhão italiano, no primeiro filme, em 1976. No longa, Rocky é da Filadélfia e leva uma vida simples como boxeador desconhecido. Ele também trabalha para um agiota. Após a lesão do desafiante de Apollo Creed, ele é convidado para encarar o campeão e como "underdog", é visto com chacota. Porém, Rocky sobe ao ringue confiante após semanas de treinamentos exaustivos, e por pouco não vence, perdendo na decisão apertada dos árbitros e ganhando o coração de todos.
A luta que inspirou o filme

Na imagem acima, Chuck, já bem machucado, derruba Muhammad Ali.
O combate inspirou Stallone a criar o longa, o que ele nega. Porém, Chuck Wepner entrou na Justiça pedindo parte dos lucros e os dois entraram em acordo em 2003. O valor nunca foi revelado. Estrela e roteirista do filme, Sylvester teve a ideia imediatamente após assistir a Chuck Wepner em ação contra a lenda Ali. Ele viu de um cinema de Los Angeles o confronto de Ali e
Chuck, que pelearam no Richfield Coliseum, em Ohio, em 1975.
A expectativa era a de que Ali nocauteasse seu oponente rapidamente e a bolsa de apostas era de 40 por 1 para o campeão. Só que não foi o que aconteceu. Wepner deu trabalho e chegou a derrubar o campeão mundial no nono round. Muhammad só venceu perto do fim, com um nocaute técnico. Ao ver a valentia e a força de um boxeador que sangrava sem parar e seguia caminhando para frente, Stallone montou na cabeça todo o roteiro da sua história que mais tarde encantou o mundo.

Resultado de imagem para stallone chuck wepner

Stallone, por muitos anos, roubou a alma de Chuck. “O que fizemos foi tentar devolvê-la um pouco”Michael TollinAutor do documentário The Real Rocky

Chuck, enfim, é reconhecido como "The Real Rocky"



A publicidade em cima da briga judicial fez os produtores Michael Tollin e Drew Feuerzeig se interessarem na história. Nascia ali, ainda em 2004, o documentário "The Real Rocky". Anos mais tarde, o mito Chuck Wepner cresceu, ganhou o interesse dos americanos e pelo talento do diretor Philippe Falardeau nasceu o filme "Chuck", no Brasil com título "Punhos de Sangue". Quem dá vida a Chuck é Liev Schreiber, de X-Men e Spotlight. O filme estreou nos cinemas americanos em 5 de maio e começa a ser exibido no Brasil em 
25 de maio.



As pessoas vão se surpreender. O que está no cerne da história é a consciência de que o que nos mantém no caminho são aqueles que são queridos para nós, e como é importante manter esses relacionamentos e concentrar nossas energias neles.Liev SchreiberAtor que vive Chuck no cinema 




Boxeador levou 72 pontos em uma luta

             
                   
Chuck Wepner nasceu em 1939, em Nova York. De origem alemã, ucraniana e de bielorussa, começou a lutar boxe aos 13 anos. Tornou-se profissional em 1964, aos 25 anos. Logo ganhou o apelido de "The Bayonne Bleeder", já que vencia algumas lutas, perdia outras, e sempre saía do ringue sangrando e bastante machucado. No auge da carreira, encarou George Foreman (foi nocauteado) e Sonny Liston (também foi para a lona). Contra Liston, inclusive, sofreu tanto que precisou de 72 pontos no rosto. Neste momento, parecia "morto" para o boxe, mas venceu nove das 11 seguintes lutas e aí ganhou a chance já citada contra Muhammad Ali. Sua última luta foi em 2 de maio de 1978, quando perdeu por pontos para o novato Scott Frank. Durante toda a carreira, se envolveu com polêmicas, drogas e álcool.

Eu adorei o filme. E você sabe, ele conta toda a verdade. Fiz muitas festas. Tive uma vida selvagem. Mas agora estou há 30 anos limpo"Chuck Wepner, 78 anosSobre o filme da sua vida

Chuck durante a luta contra Sonny Liston, quando levou 72 pontos no rosto

Por Thierry Gozzer

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe um comentário