Slider

Vídeos

Postagem em destaque

Constelação familiar sistêmica: Um nome estranho, mas que pode mudar a sua vida.

O que é essa terapia que até os tribunais de justiça estão aplicando?  Sabe todas aquelas vezes em que vemos geração após geração repet...

Polícia

Politica

Educação

Esportes

Economia

Entretenimento

INVENTÁRIO DA OFERTA TURÍSTICA DE BODOCÓ-CONFIRA




» » » » Rodrigo Novaes promove reunião com familiares de crianças com leucemia



O deputado Rodrigo Novaes (PSD) conversou, nesta segunda-feira (29), com familiares de crianças em tratamento para leucemia sobre as dificuldades diárias de quem enfrenta a doença e possíveis soluções para melhorar o atendimento e acolhimento dos pacientes. O encontro aconteceu durante a Comissão Especial da Pessoa com Câncer, que irá elaborar um Estatuto Estadual.
Uma das principais críticas foi sobre o remédio Leuginase, usado no combate a leucemia. De acordo com o professor Geraldo Maia, o medicamento está sendo usado nos hospitais públicos há dois meses e não existe estudos sobre o seu efeito em humanos. “O Ministério da Saúde trocou o antigo laboratório fornecedor. Sabemos que existem drogas superiores que podem ser utilizadas, a exemplo da asparaginase. Mas, por questões de se reduzir custos, põe-se em risco a vida de crianças”, ressaltou.
Outro ponto discutido no colegiado, pelos pais e mães presentes, foi a falta de uma lei que ampare na questão dos pedidos de licença do trabalho para acompanhar o tratamento dos filhos, que dura em média dois anos em meio. O tempo de licença varia para servidores públicos municipais, estaduais e federais, e é bem inferior ao tempo do tratamento. A situação se agrava para trabalhadores regidos pela CLT, pois é a empresa quem determina a liberação ou não do empregado.
O parlamentar destacou que, partir do que foi conversado na reunião, serão tomadas duas importantes medidas: “Vamos ao Ministério Público Federal garantir judicialmente a regularização da medicação que era fornecida anteriormente e, em paralelo, solicitar ao Conselho Federal de Medicina uma mudança de postura por parte do Ministério de Saúde”. 
ASSCOM

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe um comentário