Slider

Vídeos

Postagem em destaque

Constelação familiar sistêmica: Um nome estranho, mas que pode mudar a sua vida.

O que é essa terapia que até os tribunais de justiça estão aplicando?  Sabe todas aquelas vezes em que vemos geração após geração repet...

Polícia

Politica

Educação

Esportes

Economia

Entretenimento

INVENTÁRIO DA OFERTA TURÍSTICA DE BODOCÓ-CONFIRA




» » » Com 263 votos, denúncia contra Temer no STF é arquivada

Contra o parecer da CCJ, que favorecia o presidente, foram conquistados 227 votos


Encerrada a votação do parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) sobre a denúncia contra o presidente Michel Temer, na Câmara. Ao todo, foram 492 parlamentares presentes, 227 votos contrários ao parecer e 263 votos favoráveis ao arquivamento da denúncia que acusa Temer de corrupção passiva, no Supremo Tribunal Federal (STF). Dezoito ausências e duas abstenções. 

Para a oposição, formada por sete partidos (PT, PSDB, PSB, PDT, PCdoB, PPS e PHS) conseguir da prosseguimento à denúncia era preciso alcançar a marca de 342 votos, representando dois terços do número total de parlamentares presentes na votação. Já para a base aliada do governo, com 9 partidos (PP, PMDB, PR, PSD, DEM, PTB, PRB, Solidariedade e PSC), era necessário conquistar apenas 172 votos, que foram alcançados mesmo antes do final da votação

A sessão analisou o relatório apresentado pelo deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) na CCJ, que recomendou a rejeição da denúncia contra Temer, e teve início ainda pela manhã, às 9h. Por volta das 15h30, o placar registrava a presença de 342 deputados no plenário, atingindo o quórum mínimo pra que ocorresse a votação. Até cerca das 19h, horário em que os deputados começaram a votar, os parlamentares apresentaram argumentos favoráveis e contra a denúncia, na tribuna.

Denúncia
Michel Temer foi denunciado por corrpuação passiva ao STF após as delações premiadas da JBS, em que o empresário e presidente do grupo, Joesley Batista, gravou, sem o conhecimento de Temer, uma conversa com ele no palácio do Jaburu. Na gravação, o presidente da república dando aval para a compra de silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. 

Além disso, a delação da JBS aponta que Temer destacou o deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para intermediar interesses do grupo empresarial no Cade, órgão de defesa da concorrência. 

Loures, que trabalha com Temer desde que ele ocupava o cargo de vice presidente de Dilma Rousseff, foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley Batista. 



por Diário de Pernambuco

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe um comentário