Slider

Vídeos

Postagem em destaque

Grupo de amigos realizam mais um Projeto Natal Criança Feliz em Bodocó-PE

O Projeto Natal Criança Feliz está em seu sexto ano e o seu principal objetivo é tornar um Natal mais feliz para as crianças da zona ru...

Polícia

Politica

Educação

Esportes

Economia

Entretenimento

INVENTÁRIO DA OFERTA TURÍSTICA DE BODOCÓ-CONFIRA




» » Governo federal vai privatizar 57 empresas

Entre as privatizações, estão a Casa da Moeda, a participação acionária no aeroporto de Confins (MG) e Congonhas (SP) e a Eletrobras
A Casa da Moeda é responsável pela confecção das cédulas e moedas brasileiras. Foto: Casa da Moeda/Facebook
O governo federal anunciou a privatização de 57 estatais e bens públicos, entre elas a Casa da Moeda, órgão que confecciona as notas de real e passaportes, a Eletrobras, aeroportos, terminais portuários e rodovias. O objetivo é fazer caixa para cobrir o rombo das contas públicas de R$ 159 bilhões acumulados nos últimos 12 meses. 

A venda desses ativos faz parte do Programa de Parcerias de Investimento (PPI), que divulgou hoje a relação dos ativos e o calendário das vendas. Em setembro passado, o governo já havia anunciado a privatização de 34 bens e empresas.

Segundo o ministro da secretaria geral da Presidência, Moreira Franco, que coordena as privatizações, o objetivo é "enfrentar a questão do emprego e da renda." O governo não estimou quanto pretende arrecadar com os novos leilões, mas informou que eles representarão R$ 44 bilhões em investimentos ao longo da vigência dos contratos. 

Em Minas Gerais, devem ser leiloadas a Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa), a Companhia de Armazéns e Silos do Estado de Minas Gerais (Casemg), a usina hidrelétrica de Jaguara e a participação acionária no Aeroporto de Confins, onde a Infraero detém 49% das ações. 

Em nota a Confederação Nacional da Indústria (CNI) elogiou a proposta, sob alegação de que a participação da iniciativa privada em portos, aeroportos e no setor de petróleo e gás melhora a eficiência dos serviços, reduz custos da indústria brasileira e abre caminho para a retomada do crescimento econômico.

Confira as privatizações 

Rodovias 

Trecho de 806 quilômetros da BR-364, entre Porto Velho, em Rondônia, e Comodoro, no Mato Grosso e relicitar o trecho de 634 km da BR-153, leiloada durante o governo Dilma Rousseff, em 2014, porém a concessionária vencedora não cumpriu os investimentos previstos e teve o contrato encerrado. A previsão oficial é realizar os leilões dos dois trechos no último trimestre de 2018. 

Terminais portuários 

A concessão de 15 terminais portuários, que são áreas dedicadas a movimentação de carga nos portos. Os terminais que irão a leilão ficam nos portos de Belém (GLP e granéis líquidos), Vila do Conde (granéis líquidos), Paranaguá (grãos) e Vitória (granéis líquidos). 

Aeroportos e controle aéreo 

De acordo com documento divulgado pelo PPI, o Ministério dos Transportes propôs a concessão de 12 aeroportos, até o primeiro semestre do ano que vem, entre eles o de Congonhas, em São Paulo. O governo pretende ainda vender sua participação nos aeroportos de Guarulhos, Confins, Brasília e Galeão, que foram leiloados durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Também deve ser entregue à iniciativa privada o serviço de controle do espaço aéreo 

Energia elétrica 

Consta ainda da lista o leilão de 11 lotes de linhas de transmissão de energia, além de subestações. São novas estruturas, que serão construídas pelas empresas vencedoras dos leilões e que vão ampliar a rede de transmissão de energia do país. Os lotes estão distribuídos em dez estados: Bahia, Ceará, Pará, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Minas Gerais e Tocantins. 

Eletrobras 

Sobre a Eletrobras, o governo informou que a redução da participação do governo na empresa será feita por meio de emissão de papéis pela estatal, sem subscrição da União, que, com isso, perderá o controle acionário.

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe um comentário