Slider

Vídeos

Postagem em destaque

Grupo de amigos realizam mais um Projeto Natal Criança Feliz em Bodocó-PE

O Projeto Natal Criança Feliz está em seu sexto ano e o seu principal objetivo é tornar um Natal mais feliz para as crianças da zona ru...

Polícia

Politica

Educação

Esportes

Economia

Entretenimento

INVENTÁRIO DA OFERTA TURÍSTICA DE BODOCÓ-CONFIRA




» » » » » » » » » » » » Lula com 28% e Bolsonaro com 25% a um ano da eleição. Diz pesquisa.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC)
A 1 ano da eleição, Lula e Bolsonaro se consolidam à frente na disputa

Petista tem de 28% a 32% e lidera
Ex-capitão pontua de 20% a 25%
Onda Doria parou e Alckmin avança
Ciro e Marina ficam embolados atrás
Sem Lula, dá Bolsonaro isolado em 1º

Daqui a 1 ano o Brasil saberá quem vai ser o próximo presidente da República. Hoje, faltando pouco menos de 12 meses para a disputa, só há 2 nomes consolidados à frente: Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PSC).
Pesquisa DataPoder360 realizada de 26 a 29 de outubro de 2017 em todo o país revela que Lula pontua de 28% a 32%. Bolsonaro registra 20% a 25%, a depender do cenário. A margem de erro é de 2,9 pontos percentuais, para mais ou para menos.
O levantamento de intenção de votos do DataPoder360 é telefônico e vem sendo realizado mensalmente desde abril de 2017, quando foi lançada essa divisão de pesquisas do portal Poder360. Nesse tipo de estudo, o que importa é mais a curva do que propriamente os percentuais que cada pré-candidato obtém.
Todas as pesquisas de opinião têm margem de erro e podem perscrutar melhor uma parte específica do eleitorado. Mas quando são realizados de maneira regular (mês a mês, como no caso do DataPoder360) permitem verificar com grande precisão as tendências expressas pelo eleitorado.
Eis os 2 cenários nos quais Lula foi incluído como candidato do PT:


 Como ainda falta cerca de 1 ano para a eleição, o DataPoder360 optou por testar apenas os nomes que parecem ser os mais certos nas urnas eletrônicas de 2018 na corrida presidencial. Incluir candidatos de partidos pequenos a esta altura diminui o interesse dos entrevistados e muitos desistem de responder a perguntas quando as opções são nomes desconhecidos. O eleitor ainda não está pensando de maneira rotineira sobre a disputa eleitoral.
No início de 2018, quando o quadro ficar mais claro, o DataPoder360passará a incluir os demais possíveis pré-candidatos.
Nos cenários atuais que vêm sendo testados, nota-se que há consistência na liderança de Lula e na vice-liderança de Bolsonaro.
Mas há mais a ser observado:
  • João Doria, Geraldo Alckmin e PSDB – a “onda João Doria” arrefeceu. O prefeito de São Paulo caiu lentamente de julho a outubro. Já o governador paulista, Geraldo Alckmin, avançou ponto a ponto nesse período. Hoje, não há dúvida: o político mais bem posicionado internamente no PSDB para ficar com a vaga de candidato a presidente é Alckmin –embora não esteja clara a chance de vitória do tucano na disputa do ano que vem;
  • Ciro Gomes – o nome apresentado pelo PDT tem aparecido com vigor na mídia. Na semana passada (26.out.2017), Ciro protagonizou 10 minutos do programa partidário do PDT em rede nacional de TV. A pesquisa DataPoder360 pode ter captado o eventual efeito dessa propaganda e o pré-candidato pedetista chega a pontuar 14% num cenário em que Lula não é candidato;
  • Marina Silva – duas vezes candidata a presidente (2010 e 2014) e sempre com cerca de 20% dos votos, o principal nome da Rede tem presença tímida nesta fase de pré-campanha. Pontua de 5% a 13% conforme o cenário. Não está claro que tipo de aliança pretende montar para 2018 nem se conseguirá novamente se apresentar como 3ª via e como uma novidade para o eleitorado;
  • Fernando Haddad – sempre mencionado como possível substituto de Lula (caso o ex-presidente seja impedido de disputar por causa de suas pendências com a Justiça), o ex-prefeito petista de São Paulo registra de 4% a 7%. Teria ainda muito caminho pela frente para se consolidar.

SEM LULA, O LÍDER É BOLSONARO

Na hipótese de a corrida pelo Planalto ficar sem Lula, o líder nas pesquisas hoje é Jair Bolsonaro. O ex-capitão do Exército e agora deputado federal pelo Rio de Janeiro (filiado ao pequeno PSC) marca 23% ou 24%, a depender do cenário em que seu nome é testado.
Os principais adversários de Bolsonaro aparecem embolados em 2º lugar, todos empatados tecnicamente na margem de erro da pesquisa DataPoder360. Eis os cenários em que Lula não é candidato e que foram testados no levantamento de outubro:

REJEIÇÃO GERAL AOS POLÍTICOS

Há entre os eleitores brasileiros muitos que escolhem votar em branco ou nulo, que dizem estar indecisos ou que optam por não indicar ninguém listado na pesquisa do DataPoder360 para presidente em 2018.
Quando o nome de Lula não está entre os possíveis candidatos, a situação é mais dramática: de 37% a 40% estão nessa categoria do “não voto” –como mostram os cenários já postados aqui acima.
Mesmo quando Lula está entre os possíveis candidatos o grupo de “não voto” é alto: 28% a 29%, dependendo do cenário.
Há alguns meses o DataPoder360 vem testando o potencial de voto de candidatos do PSDB e do PT, os 2 partidos que polarizaram a política nacional nas últimas décadas.
O resultado tem sido consistente: metade do eleitorado rejeita o PT e outra metade rejeita o PSDB.
Em outubro, 53% dizem que não votariam “de jeito nenhum” em 1 candidato do PSDB nas eleições de 2018. E há 51% que rejeitam os nomes do PT.

Como demonstram os quadros acima, mês a mês, a pesquisa DataPoder360 tem captado 1 alto grau de rejeição aos políticos em geral. Essa repulsa pode ocorrer por vários motivos, sobretudo por causa da série de escândalos recentes envolvendo a imensa maioria dos partidos. Mas conta também o fato de faltar quase 1 ano para a disputa –e muitos eleitores não se interessaram ainda em buscar saber quem são os nomes disponíveis.

CONHEÇA O DATAPODER360

A operação jornalística que comanda o Drive e o portal de notícias Poder360 lançou em abril de 2017 uma divisão própria de pesquisas: o DataPoder360.
As sondagens nacionais são periódicas. O objetivo é estudar temas de interesse político, econômico e social. Tudo com a precisão, seriedade e credibilidade do Poder360.
Leia a íntegra das pesquisas anteriores do DataPoder360 (abrilmaiojunhojulho, agosto e setembro).

SAIBA QUAL É A METODOLOGIA

DataPoder360 faz suas pesquisas por meio telefônico a partir de uma base de dados com cerca de 80 milhões de números fixos e celulares em todas as regiões do país.
A seleção dos números discados é feita de maneira aleatória e automática pelo discador.
O estudo é aplicado por meio de um sistema IVR (Interactive Voice Response) no qual os participantes recebem uma ligação com uma gravação e respondem a perguntas por meio do teclado do telefone fixo ou celular.
Só ligações nas quais o entrevistado completa todas as respostas são consideradas. Entrevistas interrompidas ou incompletas são descartadas para não produzirem distorções na base de dados.
Os levantamentos telefônicos permitem alcançar segmentos da população que dificilmente respondem a pesquisas presenciais. É muito mais fácil atingir pessoas em áreas consideradas de risco ou inseguras –como comunidades carentes em grandes cidades– por meio de uma ligação telefônica do que indo até as residências ou tentando abordar esses cidadãos em pontos de fluxo fora dos seus bairros.
O resultado final é ponderado pelas variáveis de sexo, idade, grau de instrução e região de origem do entrevistado ou entrevistada. A ponderação é um procedimento estatístico que visa compensar eventuais desproporcionalidades entre a amostra e a população pesquisada. O objetivo é que a amostra reflita da maneira mais fiel possível o universo que se pretende retratar no estudo.
DataPoder360 trabalha com uma margem de erro próxima a 3 pontos percentuais, para mais ou para menos. A cada pesquisa nacional, são realizadas aproximadamente 2.100 entrevistas completas em todas as regiões do país.
A rodada deste mês do DataPoder360 foi realizada de 26 a 29 de outubro de 2017. Foram entrevistadas 2.016 pessoas com 16 anos ou mais em 112 cidades. A margem de erro deste estudo é de 2,9 pontos percentuais, para mais ou para menos.
Por Poder 360

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe um comentário